Contos da Cripta - Nos Comics

“Parece que eu acabo de trazer 7 anos de azar! Falando em azar, é hora de outro sinistro conto de terror de minha rastejante coleção...”
O Guardião da Cripta





Tema Macabro




Com o fim da Segunda Guerra Mundial, os atos heróicos dos Super-Heróis deixaram de ser tão relevantes, fazendo com que as HQs do gênero caíssem no esquecimento (o que causou o cancelamento de diversas séries, que só seriam retomadas uma década depois, com o advento da chamada Era de Prata dos Quadrinhos). No seu lugar, um espírito de cinismo e tensão (já caracterizando a Guerra Fria) se abateu sobre o povo americano, fazendo com que outro tipo de HQ se popularizasse, tornando-se um gênero à parte: As HQs de Terror.

É neste contexto que surge a revista Contos da Cripta que, junto com The Haunt of Fear e The Vault of Horror, formava a tríade de publicações bimestrais da EC Comics voltada para o gênero.

As origens da revista Contos da Cripta (e de seu apavorante anfitrião, o Guardião da Cripta) remonta às Hqs policiais publicadas pela EC Comics no fim dos anos 40, onde William Gaines (o grande nome da EC) e seu editor começaram a experimentar o terror (gênero do qual gostavam muito) aos poucos nas histórias. Estas experimentações levaram à história “Return from the Grave”, na revista policial Crime Patrol, que era uma história de terror já nos moldes do que se veria depois, e também apresentava pela primeira vez o guardião da cripta, que se tornaria a cara (trocadilho não intencional) dos Contos da Cripta. Como a edição posterior já contava com mais histórias de terror do que policiais, seu título foi alterado de Crime Patrol para “Tales from the Crypt of Horror”, mantendo seu formato original por mais 4 edições, até se tornar a revista de terror como ficou conhecida.

Tales From The Crypt, The Vault of Horror e The Haunt of Fear foram 3 revistas de muito sucesso durante os anos 50, mas que infelizmente não passaram das 30 edições (tendo sido publicadas até a edição 27, 29 e 28, respectivamente), tudo por conta da “caça às bruxas” liderada por Fredric Wertham, que levou à criação do Subcomitê do Senado Americano sobre Delinquência Juvenil, cujo principal alvo foram as histórias policiais e de terror da EC Comics, o que infelizmente acarretou no fechamento da editora com a instituição do Comics Code Authority, um “código de conduta” do que podia e não podia se fazer nos comics (mas que era apenas um outro sinônimo para “censura”) e que simplesmente invalidava todas as histórias da EC Comics, já que esta se focava em títulos com temas adultos.

Assim, a EC Comics, e consequentemente a revista Contos da Cripta chegaram ao fim, lamentavelmente. Mas esta não seria a última vez que veríamos o Guardião da Cripta e suas histórias macabras.

Curiosidades:
- Eerie Comics, uma revista “one-shot” (edição única) de 1947 é considerada a primeira revista em quadrinhos de terror americana, além da “semente” de toda a mania dos quadrinhos de terror que aconteceu nos anos subseqüentes a sua publicação. A publicação contava com 6 histórias, entre as quais uma desenhada por Joe Kubert;
- Não era apenas Contos da Cripta que tinha seu anfitrião macabro: The Vault of Horror contava com o Guardião do Jazigo (The Vault Keeper) e The Haunt of Fear contava com a Velha Bruxa (The Old Witch);
- Para vocês terem uma ideia do sucesso que as histórias de terror faziam na época, a EC lançou, em 1954, a Three Dimensional Tales from The Crypt of Horror, uma antologia trimestral que reciclava histórias já publicadas na revista principal, com a diferença de serem impressas em 3D anaglifico (aqueles que você precisa de um óculos de papel com lentes de papel celofane azul e vermelho – E isso nos ANOS 50, para você que pensa que 3D é uma moda recente). Cada edição vinha com um óculos 3D. A publicação é considerada um clássico, embora não tenha durado muito por uma série de fatores (não só a questão do Comic Code mencionada na matéria, mas principalmente fatores técnicos, como o custo da impressão, entre outros);
- Harvey Kurtzman, mais famoso por ter sido o editor e criador da revista MAD foi um dos artistas de Contos da Cripta;
- Em 2007, uma editora independente chamada Papercutz decidiu ressuscitar o título mostrando novas histórias. A primeira edição contou com capa de Kyle Baker e trazia os 3 anfitriões mais famosos da EC (O Guardião da Cripta, o Guardião do Jazido e a Velha Bruxa);

Na próxima Madrugada:
Continuamos nos aventurando pelo universo dos Contos da Cripta, agora Na TV.

Nome do Autor

Rafael Rodrigues

Filósofo, redator publicitário, promotor da ciência, roteirista de quadrinhos, professor de informática e pseudoblogueiro. Um homem que gosta de coisas simples, como Quadrinhos, Cinema e Ciência. Sabe, coisas normais.

Leia Mais sobre Rafael Rodrigues...
Related Posts with Thumbnails
blog comments powered by Disqus