A ciência do Sobrenatural

“Não existe isso de morte natural.
Nada que acontece com o homem é natural, uma vez que a presença dele coloca o mundo inteiro em questão.
Todo homem tem de morrer, mas para cada homem cuja morte é um acidente. E mesmo que ele saiba e consinta com isso, é como uma violação injustificável”

J.R.R. Tolkien




Tema Macabro


Na semana passada, nós fizemos uma viagem por algumas histórias relacionadas a fantasmas e poltergeists, dando início à serie de matérias sobre o sobrenatural e o inexplicável no mundo real. Mas e a ciência, o que diz sobre o tema?

Bom, a ciência não reconhece nenhum fenômeno que não tenha sido avaliado, testado, comprovado e repetido através do método científico. Então, nesse caso, o termo “sobrenatural” não é reconhecido pela ciência, bem como a maioria dos eventos e histórias atribuídas à ele.

Obviamente, existe um “mas” nesta sentença – até porque, se não tivesse, a matéria acabaria aqui – pois existem pessoas que dedicam suas vidas a tentar provar que eventos sobrenaturais podem ser comprovados cientificamente.

Entre eles estão os caçadores de fantasmas. Mas antes que vocês se animem querendo se tornar um, eles não são nem de longe parecidos com esses caça-fantasmas:



Os verdadeiros caçadores de fantasmas são entusiastas que se utilizam, atualmente, da mais alta tecnologia disponível para detectar qualquer coisa que possa “provar” que existe atividade sobrenatural entre nós. Céticos sempre pensaram que o avanço da tecnologia e o advento de novas formas de comunicação fariam desaparecer a crença humana em fantasmas. Certamente o número de casos diminuiu muito, mas o que acontece hoje é, na verdade, a tecnologia sendo aliada desses caçadores de fantasmas no registro e análise de evidências que reforcem esta idéia. Graças às novas tecnologias, os caçadores de fantasmas já conseguiram registrar algumas coisas bem interessantes.





Embora muitos dos métodos utilizados sejam, em tese, provas concretas de atividades fantasmagóricas e sobrenaturais como algo real, os céticos ainda não estão convencidos de que essas “provas” sejam realmente evidências, sugerindo uma série de outras explicações possíveis.

O avanço das tecnologias de comunicação e captação de áudio e vídeo possibilitou também o surgimento de outras formas de pesquisa do sobrenatural, em especial da vida após a morte. Uma delas é a chamada Transcomunicação Instrumental.

A transcomunicação instrumental estuda o fenômeno da suposta detecção de vozes e imagens de origem aparentemente não-humana mediante a utilização de equipamentos eletrônicos como rádio, televisão, telefone e computador. Apesar de na mídia a transcomunicação ser muitas vezes atribuída à detectação de imagens e sons do além vida, ainda não se sabe de onde vem essas informações e nem o que são, exatamente.

Se você quiser saber mais sobre transcomunicação, você pode acessar o site Transcomunicação.net









Curiosidade:
Não é de hoje que os seres humanos se preocupam com a comunicação entre os mortos e os vivos. Thomas Edison, um dos maiores inventores da história da humanidade e grande responsável por muito da tecnologia de comunicação de hoje, patenteou uma máquina que, segundo ele, fazia exatamente isso: a comunicação dos vivos com os mortos.

Há, no entanto, quem acredite que não é nada disso que acontece. No entanto, diferente dos céticos, eles não ignoram o fenômeno; pelo contrário, também acreditam nele. Mas possuem uma explicação diferente para a origem desses fenômenos. São os parapsicólogos.

A Parapsicologia estuda o que se pode chamar de experiências extra-sensoriais, ou seja, eventos que ocorrem à margem de nossa percepção. É sabido que a percepção humana é limitada; existem eventos que ocorrem em níveis tão pequenos, ou em velocidade tão elevada que nossos olhos não captam, assim como existem sons tão altos ou tão baixos que são impossíveis de serem ouvidos por nós, e assim por diante. A parapsicologia se dedica à estudar fenômenos dito sobrenaturais à luz do conceito do extra-sensorial, ou seja, aquilo que está além da nossa percepção.

Mas diferente dos que acreditam em sobrenatural, os parapsicólogos acreditam que toda evento dito “sobrenatural” é, na verdade, uma manifestação do cérebro humano, direta ou indiretamente. Por essa razão, as principais pesquisas da parapsicologia ficam dentro do terreno da telepatia, clarividência, precognição, telecinésia, entre outros, para explicar fenômenos sobrenaturais.

Dê uma olhada no Centro Latino Americano de Parapsicologia se você quiser saber mais sobre o assunto (mas já aviso, é o site do padre Quevedo...)



Apesar de muitos dizerem o contrário, a parapsicologia ainda não é reconhecida como ciência, mas vale ressaltar que muitos estudos atribuídos à parapsicologia foram realizados por cientistas no passado.

De qualquer maneira, ainda não há um consenso sobre todas essas alegações. Mas isso não significa que as supostas evidências devam ser completamente ignoradas. A hipnose, por exemplo, antes ignoradas pelos cientistas e relegado no campo da crendice, hoje é tema de estudos sérios relacionados a fatores cognitivos. Então, nunca se sabe quando o absurdo de hoje poderá ser a verdade de amanhã.


P.S.: Você não esqueceu de mandar seu relato sobrenatural, né? Ainda tem tempo, mande para contato@uarevaa.com, qualquer coisa que você tenha achado estranho, inexplicável ou assustador que tenha acontecido com você ou alguém próximo.

Na próxima Madrugada:
No sobrenatural do mundo real, existem muito mais coisas estranhas do que apenas fantasmas e poltergeists. Na próxima semana, vamos conhecer algumas Criaturas Inexplicáveis.

Nome do Autor

Rafael Rodrigues

Filósofo, redator publicitário, promotor da ciência, roteirista de quadrinhos, professor de informática e pseudoblogueiro. Um homem que gosta de coisas simples, como Quadrinhos, Cinema e Ciência. Sabe, coisas normais.

Leia Mais sobre Rafael Rodrigues...
Related Posts with Thumbnails
blog comments powered by Disqus