Retrospectiva Madrugada Macabra – Quadrinhos


Nesta segunda parte da retrospectiva Madrugada Macabra, compilei alguns posts sobre quadrinhos de terror. Como todo meio narrativo, os quadrinhos têm suas vantagens e desvantagens, suas possibilidades e limitações. Para mim, particularmente, o terror talvez seja o gênero mais complicado de se construir de forma eficiente em quadrinhos, e por essa razão é que eu respeito e admiro muito autores que conseguem ser bem-sucedidos neste feito. Então confiram os posts que separei:

Terror e Hqs – O primeiro texto em que comecei a falar sobre a história dos quadrinhos de terror. Embora seja mais um ensaio do que um artigo, discorre um pouco sobre um dos períodos áureos das Hqs de terror no Brasil:



Uma séria casa num sério mundo – Sem dúvida uma das melhores Hqs de terror já escritas, cujo autor e o protagonista dispensam apresentações. Uma obra mais do que recomendada, e com alguns pontos polêmicos:


Prontuário 666 – os anos de cárcere – Quando José Mojica Marins lançou o encerramento de sua trilogia cinematográfica com A Encarnação do Demônio, foi criada uma HQ para contar o lapso entre o segundo e o terceiro filme, que para mim se tornou possivelmente a melhor HQ de terror nacional até hoje:



30 Dias do Noite – HQ americana publicada pela IDW que dá uma visão bem interessante sobre vampiros e teve uma (na verdade, se não me engano duas) adaptação cinematográfica:

Nome do Autor

Rafael Rodrigues

Filósofo, redator publicitário, promotor da ciência, roteirista de quadrinhos, professor de informática e pseudoblogueiro. Um homem que gosta de coisas simples, como Quadrinhos, Cinema e Ciência. Sabe, coisas normais.

Leia Mais sobre Rafael Rodrigues...
Related Posts with Thumbnails
blog comments powered by Disqus