A verdade está lá fora?

Scully: E onde isso levou você? Não para sua irmã, nem nada pelo qual você buscou. Mas você não desistiu, mesmo agora. Você sempre disse que queria acreditar. Mas acreditar em que, Mulder? Se essa é a verdade pelo qual você buscou, o que resta para acreditar?
Mulder: Eu quero acreditar que... Os mortos não estão longe de nós. Que eles falam conosco... Como parte de algo maior que nós – maior que qualquer força alienígena. E se você e eu estamos indefesos agora, Eu quero acreditar que, se ouvirmos o que estão dizendo, isso pode nos dar o poder de salvar a nós mesmos.
Scully: Então acreditamos na mesma coisa.
Mulder: Talvez haja esperança.
Arquivo X – Episódio final.




Tema Macabro


Chegamos ao fim da série de matérias sobre o sobrenatural (veja as outras matérias aqui, aqui e aqui) no mundo real trazendo talvez o tema mais controverso dentro do inexplicável: existiria vida inteligente em outros planetas, e eles estariam nos visitando? Digo que é um tema controverso porque, diferente dos temas tratados nos posts passados, esse é um assunto que se estende em uma rede de outros subtemas geralmente ligados a ele e que, ora é tratado como “ciência”, ora como sobrenatural, ora como questão espiritual. Esse conjunto de temas ligado à suposta existência de seres inteligentes de outros planetas que nos visitam é conhecido como Ufologia. Ufologia vem do nome UFO, que em inglês significa “Objeto voador não identificado” e, diferente do que muitos pensam, não é uma designação para “discos voadores”, e sim para qualquer objeto cuja identidade seja desconhecida. Ou seja, se você viu algo no céu e não sabe o que é, ele é classificado como UFO (ou OVNI, que é a sigla em português) até que seja identificado, mas não significa que seja obra de seres alienígenas ou algo sobrenatural; é apenas desconhecido.



Aparições inexplicáveis no céu não são novidade na história do mundo, mas a chamada ufologia “oficial” data do ano de 1898, onde uma cidade do Texas chamada Aurora foi palco da queda de um objeto desconhecido. Mas o termo em inglês para disco voador, “flying saucer” surgiu em 1941, quando o oficial da força aérea Kenneth Arnold durante um vôo avistou 8 objetos que descreveu como tendo formato de pires, e que faziam acrobacias que eram impossíveis para os veículos aéreos da época. Daí surgiu o termo, “flying saucer”, que na tradução literal, significa “pires voador”. Mas apesar do nome, nem todos os OVNIS tem o formado de discos ou pires.



Curiosidade:
A Guerra dos Mundos”, clássico de H.G. Wells que narra uma invasão alienígena na Terra, foi publicado, coincidentemente, no ano de 1898.
O período entre 1895 e 1899 contou com uma febre de avistamentos de objetos voadores no céu. A maioria descrevia os objetos como o que mais tarde seriam conhecidos como dirigíveis e, embora hoje se imagine que a maioria dos avistamentos tenham se dado por conta do fenômeno de “histeria coletiva”, alguns avistamentos ainda permanecem sem explicação.


Avistamentos de OVNIS já contaram com a descrição dos mais variados formatos, esféricos, ovais, triangulares, em forma de charuto, e até em formato de pirâmide, embora os em formato discóide ainda sejam os mais avistados. Embora alguns tenham avistado os objetos próximos o suficiente (ou eles eram grandes o suficiente para se perceber) para descrevê-los como objetos sólidos e supostamente mecânicos, a grande maioria dos avistamentos se referem à luzes que se movimentam no céu em trajetórias erráticas. Durante a Segunda Guerra Mundial, eram comuns histórias de pilotos que foram seguidos por globos de luzes, que ficaram conhecidos como “Foo Fighters”.



Curiosidades:
Na época da Segunda Guerra, os “Foo Fighters” eram tão freqüentes que preocuparam os soldados. Na época, os Aliados pensavam que aquilo poderia ser tecnologia secreta dos países do Eixo. Quando a guerra acabou, os Aliados descobriram que o Eixo também teve diversos encontros com foo fighters, e que pensavam que eram tecnologia secreta dos Aliados.
A banda de Dave Grohl tem o mesmo nome dessas esferas de luz que surgiaram durante a segunda guerra, e não por acaso: o vocalista e baterista é um grande apreciador da ufologia.


Mas os OVNIS só começaram a ser relacionados à seres extraterrestres em 1947, quando a cidade de americana de Roswell, no Novo México foi palco da queda de um objeto não identificado que causa controvérsia até hoje sobre sua verdadeira identidade. Existem tantas histórias e disse-que-me-disse sobre esta questão específica que não caberia citar em apenas um post. Basta saber que até hoje a história é envolta em mistérios e, mesmo o governo já tendo supostamente provado que o que caiu no lugar fora um tipo de máquina de testes militar, ainda há muita gente que acredita que de fato algo de outro planeta caiu lá. Tudo isso por causa da declaração do Oficial militar Jesse Marcel, que foi até o primeiro oficial a ir até o rancho onde a queda aconteceu, e divulgou para os jornais que havia capturado uma nave de tecnologia desconhecida, possivelmente alienígena. Porém, poucas horas depois, o próprio Marcel convocou uma nova coletiva de imprensa para dizer que havia se enganado e que aquilo que ele coletou eram destroços de um balão meteorológico. Muita gente diz que Marcel foi coagido pelos seus superiores a desmentir o que havia dito para encobrir a verdade. De fato, os repórteres que estiveram nas duas coletivas de imprensa disseram que os destroços mostrados na segunda coletiva eram diferentes das exibidas na primeira. Além disso, há o fato de um oficial militar laureado confundir um balão meteorológico (algo que ele conhecia muito bem, pois lidava com aquele tipo de coisa sempre) com uma tecnologia completamente desconhecida ser algo difícil de explicar até hoje. Há inclusive relatos de os militares teriam resgatado 4 (ou 5, depende da versão que você lê) seres de dentro da nave, supostamente seus tripulantes. Esse seres seriam pequenos, magros, cinzentos e com a cabeça avantajada em relação ao corpo, e daí veio a descrição básica do alienígena que conhecemos hoje, que na Ufologia é chamado de “Grey”.



Após o incidente em Roswell, UFOs se tornaram uma mania – e uma histeria – nos EUA e no mundo e começaram as histórias de que o governo americano sabia sobre os OVNIS, mas havia uma conspiração sinistra que visava esconder a verdade. Esse conceito cresceu tanto nos EUA que o governo abriu nos anos 50 uma comissão para investigar o fenômeno OVNI. A comissão foi chamada de Projeto “Blue Book”, e levou quase 10 anos investigando diversos relatos de avistamentos e fotos de OVNIS, e encerraram o programa sem uma resposta satisfatória. De todo o material investigado, 99% acabou sendo classificado como fenômenos atmosféricos, reflexos, gotículas de água mal-entendidos diversos ou fraude. 1% permaneceu sem explicação, ao que os diretores do projeto declararam que “seja lá o que for, não representa ameaça à segurança nacional”.

Mesmo tendo diminuído, a fascinação pelos OVNIS não cessou após isso. Histórias sobre bases secretas (as mais famosas são a Área 51 e o Hangar 18), governos paralelos, sociedades secretas, troca de informações entre governos e alienígenas, experiências com viagens no tempo e mais uma série de outras histórias podem ser encontradas na internet com uma legião de pessoas que juram que isso é verdade.







Mas o tema mais assustador relacionado a Ufologia é, sem dúvida, o da abdução, um fenômeno onde supostamente as pessoas são levadas por discos voadores e submetidas à diversos tipos de testes e depois devolvidos à terra, sem memória do que se passou. Alguns relatos dão conta inclusive de experiências com inseminação artificial dentro de naves. Em 2003, estimava-se que cerca de 1% da humanidade já havia sido vítima de abdução. Uma estatística apavorante.

O primeiro (pelo menos que se conhece) e mais famoso caso de abdução foi o do casal Betty e Barney Hill, em 1961, nos EUA. Os dois viajavam pela estrada durante a noite, quando foram surpreendidos por uma nave em forma de disco que capturou os dois e os submeteram à diversos testes, ao que foram logo depois devolvidos ao seu carro. Na verdade, toda essa odisséia durou cerca de duas horas, mas só foi lembrada por eles durante sessões com um renomado médico, pois essas memórias haviam sido reprimidas. Até hoje esse é um dos casos mais impressionantes de abdução alienígena. Outro caso impressionante é o de Travis Walton, que em novembro de 1975, foi levado por uma máquina em forma de disco na frente de seus colegas de trabalho. 6 dias depois, o irmão de Travis recebe uma ligação de seu irmão, que foi buscá-lo e descobriu que travis estava em uma cabine telefônica a 80 km, nu, desidratado e desorientado. Para ele, haviam se passado apenas algumas horas, e não dias.



Curiosidades:
Diversos fatos interessantes foram trazidos à tona no caso Betty e Barney Hill quando eles se “lembraram” da abdução. Entre elas, haviam 9 aliens na nave, sendo que um deles realizava os testes neles, e em dado momento, ele enfiou uma agulha em sua barriga, o qual foi explicado para ele que era um teste de gravidez. Curiosamente, era uma técnica muito semelhante à que ia ser usada mais tarde, nos anos 70, entre os médicos da Terra.
Betty perguntou para os aliens de onde eles eram, e eles mostraram para ela um mapa, que ela desenhou para o seu médico, e mais tarde foi confirmado por astrônomos como sendo a constelação de Reticuli, a 36 anos luz da Terra.
Sobre o caso Travis Walton, é interessante ressaltar que os envolvidos no caso (o próprio travis, seu irmão e os colegas de trabalho que presenciaram a abdução), foram entrevistados diversas vezes ao longo dos anos, juntos e separados, e nunca mudaram uma vírgula de seu testemunho. Foram inclusive submetidos diversas vezes ao detector de mentiras, e sempre passaram nos testes.
Existe um filme que conta a história de Travis Walton. Chamado de Fogo no Céu, com Robert Patrick, é extremamente recomendável. E assustador.


Mas o fenômeno UFO, para muitos, não é algo novo. Na verdade, existem aqueles que acreditam que isso vem desde o início dos tempos. Erick Von Daniken foi um dos primeiros a difundir essa idéia de forma “séria”. Segundo ele, existem diversas pistas no passado da humanidade que provam, não só que existe vida inteligente em outros planetas, como eles sempre nos visitaram, desde tempos imemoriais e tem deixado sua marca ao longo dos milênios. Além disso, Daniken também acredita que todas as crenças em deuses, demônios, e todas as mitologias e religiões foram criadas a partir do encontro de nossas civilizações primitivas com seres mais avançados. Esse conceito deu origem ao livro “Eram os Deuses Astronautas?”, um Best Seller que também virou um documentário, igualmente famoso.



Curiosidade:
Existe uma mini-série em quadrinhos chamada Batman: O livro dos Mortos (publicado no Brasil pela editora Abril), que explora de maneira bastante interessante o conceito dos “deuses astronautas” e misturando-a com a mitologia do personagem. Muito recomendável.


Mas não é só de histórias soturnas, misteriosas e assustadoras que vive a ufologia. Um dos mais belos “fenômenos” atribuídos à ufologia e que ainda permanecem um mistério são os Crop Circles. Também conhecidos como círculos ingleses (pois surgiram pela primeira vez nos campos da Inglaterra), são formas, muitas vezes complexas formadas nas plantações, de tamanho gigantesco e que só podem ser visto em sua plenitude de uma altitude elevada. Apesar de ser em sua maioria no formato circular (daí o nome), com o passar dos anos foram ficando cada vez mais complexos e assumindo formas das mais diversas.



Estima-se que surgem cerca de 20.000 círculos em plantações por ano só na Inglaterra, mas o fenômeno também ocorre em outros países, embora com menos freqüência. Mesmo tendo sido provado que muitos desses círculos foram na verdade feitos por pessoas, muitos outros deles ainda permanecem um mistério, principalmente devido às características peculiares: entre elas, o tamanho (alguns chegaram a ter até 200 metros), a simetria das formas e, principalmente, segundo os próprios donos das plantações, o fato de surgirem, literalmente, da noite para o dia.




Talvez chegue o dia em que iremos descobrir se estamos sós no universo, e se todas essas histórias são verdadeiras ou não. Mas, até lá, a questão que permanece não é se é verdade ou não. A verdadeira questão é: Você quer acreditar?



Na próxima Madrugada:
O terror também criou raízes na arte seqüencial. Na próxima semana, Terror e HQs.

Nome do Autor

Rafael Rodrigues

Filósofo, redator publicitário, promotor da ciência, roteirista de quadrinhos, professor de informática e pseudoblogueiro. Um homem que gosta de coisas simples, como Quadrinhos, Cinema e Ciência. Sabe, coisas normais.

Leia Mais sobre Rafael Rodrigues...
Related Posts with Thumbnails
blog comments powered by Disqus