Uarévaa no Lançamento da nova revista do Pelézinho

É amigos, pra quem achava que esse blog não ia dar em nada, está aí.


Fomos convidados para a coletiva de imprensa da Panini, que oficializou o retorno da parceria entre a editora, a Mauricio de Sousa Produções e a Legends 10, empresa responsável pelo gerenciamento dos direitos de imagem do rei Pelé, para a volta do personagem Pelezinho às bancas de todo o país.

E este humilde Moura foi lá e conta pra vocês!



A coletiva atrasou um pouco, pois o Edson Arantes ficou preso no trânsito (como todos nós mortais, mas provavelmente em um carro bem mais legal), mas depois de alguma espera, eis que para delírio da platéia lotada de repórteres, jornalistas E eu, Mauricio de Sousa e Pelé subiram ao palco, acompanhados por Eduardo Severo Martin, o presidente da Panini.


Mauricio começou comentando que sugeriu o uso do personagem Pelezinho como mascote da Copa 2014. É fato que as mascotes de Copa pouco são lembrados depois do evento, e usar um personagem já consagrado mudaria esse estigma. Entretanto a comissão da FIFA não permite o uso de personalidades ainda vivas como símbolos da competição. Pelé reiterou que falou diretamente com a presidente Dilma sobre o assunto, mas que realmente o uso do personagem não seria possível. Vão usar um tatu bola qualquer.


Pelé e Maurício disseram que desejam que Pelezinho se torne o mascote extra-oficial, no coração dos brasileiros, e pelo empenho que Martin demonstrou no que deseja trabalhar com a divulgação do personagem, é bem possível que isso aconteça.

Depois de vinte anos de hiato na parceria, o investimento no retorno está sendo grande. Aproveitando que o Brasil está respirando futebol, o contrato agora é longevo e a editora garante uma ampla divulgação, em todas as mídias. Está garantida a reimpressão das tiras clássicas em encadernados anuais; a republicação de todas as estórias antigas, em três volumes por ano; uma nova revista com estórias inéditas, dicas e noticias sobre futebol; o uso da marca para licenciamentos em inúmeros produtos; desenhos para TV e cinema; publicação em outros países (afinal, é o mudafucka Pelé! É mais conhecido que Djésus no mundo); e ainda deu uma noticia em primeira mão: No próximo álbum do campeonato brasileiro, Pelezinho será a figurinha número zero. Para a editora, que distribui 28 milhões de exemplares da turma da Mônica – o que, no quadro atual da indústria dos quadrinhos mundial é altamente impressionante – não é de se duvidar da confiança que a Panini tem nesses lançamentos.




Mauricio criou o personagem em parceria com o próprio jogador em 1976. Os dois, que reafirmaram por várias vezes que se consideram irmãos, se divertiram contando o processo de criação. Entre as curiosidades, o jogador disse que não gostou do topete do personagem (e Mauricio apontou para o topete real do jogador); que contou ao amigo que quase havia largado o futebol por conta de uma garota Nissei que gostava – e Mauricio logo na primeira historinha tascou uma personagem japa namorando o garoto; que todos os personagens coadjuvantes são baseados em amigos de Pelé; e que o jogador queria que sua versão em quadrinhos fosse um adulto. Mas o desenhista, com ajuda dos filhos do rei, mostrou que ele criança era a melhor opção.


Alias, Mauricio foi logo dizendo que não é nem um pouco impossível que, seguindo o exemplo da Turma da Mônica, em algum momento surja a Turma do Pelezinho Jovem, podendo assim abordar outros assuntos mais voltados ao publico adolescente.

Pelé ainda comentou seu contato com quadrinhos na infância. Disse que lia Flash Gordon, Tarzan, mas que seu favorito eram os “Deuses Submarinos”. De que se trata, eu não faço idéia... Seria o Namor? Mas enfim, diz ele que fazia com os amigos um cinema improvisado, recortando as tiras e passando projetadas em uma tela. Quer dizer, alem de rei do futebol, ele ainda criou as Motion Comics.

Mauricio com os filhos Mônica e Marcelo.

As perguntas dos jornalistas ficaram muito voltadas para o futebol, por mais que o Sidney Gusman pedisse para que fosse focado no relançamento da revista. Resumindo, Pelé disse que vai torcer pro Curintia essa noite no jogo contra o Boca, falou que está preocupado com as obras de infra-estrutura urbana para a Copa e que o Brasil nunca ganhou no futebol em uma Olimpíada porque... O Pelé nunca pode jogar uma. Claro que foi questionado sobre a derrota do Santos pelo Corinthians, mas fez questão de dizer que Neymar só tomou toda a culpa por ser o atleta mais conhecido e visado. Sem ninguém a quem possa ser comparado, a responsa de tudo acaba caindo no garoto-calopsita.


Já Mauricio apontou Neymar como o provável craque da próxima Copa e ainda demonstrou interesse em criar o seu Neymarzinho. Disse que planeja novos personagens ligados a diversos esportes, aproveitando as Olimpíadas, e que a criação dos mesmos está utilizando-se da ajuda de profissionais e jornalistas do meio esportivo. Segundo ele, os dois principais caminhos que a MSP tem em suas diretrizes são educação e esporte. Questionado sobre quem poderia ser o próximo esportista a ser transformado em personagem da turma, Pelé não pensou duas vezes e sugeriu o Rogério Ceni, pelo bom exemplo e mensagem que o goleiro sempre passou.


Falando em exemplo, foi tocada ainda na polemica envolvendo Ronaldinho Gaúcho, já que o mesmo ganhou faz algum tempo sua própria revista protagonizada por sua versão “Moniquetizada”. Mauricio respondeu dizendo que jogador e personagens são coisas diferentes, independentes uma da outra, mas que espera que Ronaldinho consiga superar seus problemas, sempre evidenciando o bom caráter do jogador. Entretanto, reconheceu que atitudes controversas prejudicam sim a recepção do personagem pelos pais que compram revistas para seus filhos.

Os ídolos se mostraram extremamente acessíveis. Mauricio inclusive tomou café com os jornalistas enquanto aguardava o inicio da entrevista. Sempre simpático fez questão de atender todos os fãs, adultos e crianças. Pelé ficou menos tempo, mas ainda dei sorte de, na saída, ao entrar no estádio do Pacaembu (onde foi realizado o evento) dei de cara com o rei do futebol dando uma entrevista a Otávio Mesquita, na qual ele confessava o ciúme que tem da Monica. Afinal, ela viaja o mundo todo, e o Pelézinho não. ELE É O MUDAFUCKA PELÉ PO.



O lançamento das publicações do Pelezinho será na próxima Bienal do Livro, em São Paulo, no mês de agosto. A dupla de ídolos também estará lá, conversando com os leitores e distribuindo autógrafos. E até a próxima!


UARÉVAA!

Nome do Autor

Rafael Rodrigues

Filósofo, redator publicitário, promotor da ciência, roteirista de quadrinhos, professor de informática e pseudoblogueiro. Um homem que gosta de coisas simples, como Quadrinhos, Cinema e Ciência. Sabe, coisas normais.

Leia Mais sobre Rafael Rodrigues...
Related Posts with Thumbnails
blog comments powered by Disqus