O Caso de Charles Dexter Ward

“Per Adonai Eloim, Adonai Jehova,
Adonai Sabaoth, Metraton Ou Agla Methon,
verbum pythonicum, mysterlum salamandrae,
ceventus sylvorum, antra gnomorum,
daemonia Coeli God, Almonsin, Gibor,
Jehosua, Evam, Zariathnatmik, Veni, veni, veni”





Tema Macabro




Quem conhece alguma coisa de H.P. Lovecraft sabe que ele foi um autor muito injustiçado no seu tempo. Tanto que, além do número limitado de leitores, nunca teve um livro de capa dura publicado e seus escritos se resumiram, em grande parte, a contos publicados de forma seriada em jornais e revistas da época. Sua popularidade foi crescendo com o passar do tempo, mas o reconhecimento de verdade só veio após a sua morte.

O que nos traz ao Caso de Charles Dexter Ward, um conto que foi escrito pelo autor em 1927, mas que só foi publicado postumamente em 1941 na revista pulp Weird Tales (que publicou diversas histórias do autor). O conto nos mostra a história do jovem de um jovem chamado Charles Dexter Ward, que em 1918, acaba ficando intrigado com o passado devido à fascinação com a história de um ancestral seu, Joseph Curwen, que deixou Salem por Providence (a cidade onde se passa a história) em 1692 e conseguiu notoriedade pelas assombrações de túmulos, por ser aparentemente desprovido de envelhecimento e por seus experimentos em alquimia. Ward lembra Curwen fisicamente e tenta replicar os feitos cabalísticos e alquímicos, eventualmente encontrando os restos mortais de seu antepassado, o que acaba levando o personagem a lugares aterrorizantes, mas não geográficos, e sim da mente e do sobrenatural.

Entre as inspirações de Lovecraft para o conto estão Providence in Colonial Times, de Gertrude Selwyn Kimball, de onde ele tirou muito do contexto histórico, o livro The Return, de Walter de la Mare e o conto Count Magnus de M. R. James , citados no ensaio “O Horror Sobrenatural na Literatura” do autor.

O Caso de Charles Dexter Ward ainda foi levado para o cinema duas vezes: A primeira foi em 1963 por Roger Corman no filme The Haunted Palace e estrelado, é claro, por Vincent Price. O filme conte a história de um vilarejo em 1765 que se vê as voltas com a desconfiança de que seu mais novo morador, Joseph Curwen, seja um feiticeiro. Após eventos trágicos, a história salta para 1875, onde Charles Dexter Ward e a esposa herdam chegam a uma nova cidade ao herdar a casa de seu antepassado, Joseph Curwen.


Outra adaptação é The Ressurected (também conhecido como Shatterbraindon’t ask), lançada em 1992 diretamente para vídeo, que conta a história de Claire Ward, que contrata um detetive particular para investigar as atividades cada vez mais bizarras de seu marido, Charles Dexter Ward, que se tornou obcecado por práticas ocultistas como ressuscitar os mortos que já foram praticadas por seu ancestral, Joseph Curwen.


Para quem ainda não leu, O Caso de Charles Dexter Ward foi publicado no Brasil pela L&PM em versão pocket, assim como fizeram com outros contos do autor (Como A Tumba e Outras Histórias), por um preço bem baratinho (assim como todos os livros pockets da editora).

Curiosidades:
- No que se refere aos chamados “Mitos do Chtulhu”, o Caso de Charles Dexter Ward conta com a primeira menção à entidade Yog-Sothoth;
- Entre os escritores que figuravam junto com Lovecraft na revista Weird Tales estava Robert E. Howard com as histórias do Conan, o Bárbaro;
- Embora The Haunted Palace seja uma adaptação do conto de Lovecraft, ela era vendida como uma obra de Edgar Alan Poe. Mas a única coisa que o filme tem de Poe é o título, que vem de um poema dele;
- Curiosamente, o Caso de Charles Dexter Ward era uma das histórias que Lovecraft menos gostava, pois ficou bastante insatisfeito com o que ele memso havia escrito. Tanto que não se esforçou muito para que a história fosse publicada, deixando ela de lado e assim ela só foi resgatada quando o autor faleceu;
- Existe uma banda de Blues chamada Charles Dexter Ward And The Imagineers;
- A música “Borellus”, da banda HIM (o tema macabro de hoje) tem em seu primeiro verso uma leitura parcial do primeiro capítulo do Caso de Charles Dexter Ward;

Na próxima Madrugada:
Você vai conhecer um pouco mais sobre a editora de quadrinhos americana mais reconhecida por seu trabalho com o terror: A História da EC Comics.

Nome do Autor

Rafael Rodrigues

Filósofo, redator publicitário, promotor da ciência, roteirista de quadrinhos, professor de informática e pseudoblogueiro. Um homem que gosta de coisas simples, como Quadrinhos, Cinema e Ciência. Sabe, coisas normais.

Leia Mais sobre Rafael Rodrigues...
Related Posts with Thumbnails
blog comments powered by Disqus