Princesa Amazona - Parte 1

No post anterior:
Criado pela necessidade e diretamente ligado à guerra fria, o Homem de Ferro sempre foi um personagem não tão famoso quanto outros da Marvel, mas que passou por muitas fases que fizeram a diferença nos comics e que merece figurar entre os grandes personagens de quadrinhos.




A mulher moderna dos velhos tempos

Ao anos 40 foram bastante promissores para os quadrinhos. Com o sucesso estrondoso de Superman, Batman, Namor, Capitão Marvel e Flash, os comics se encontravam em uma era de ouro onde não havia limites para a imaginação. Mas ainda faltava uma coisa: Um personagem feminino que fosse tão icônico para as mulheres quanto Superman era para os homens.

Em 1940, o psicólogo e inventor (sim, inventor) Willian Moulton Marston deu uma entrevista à estudante Olivia Byrne intitulada “Não ria dos comics”, onde descrevia o grande potencial educacional das histórias em quadrinhos. O artigo chamou a atenção de Max Gaines, que contratou Moulton como consultor educacional da National Periodics e All-American Publications (que futuramente se tornariam a DC Comics), e foi nesse período que o autor aproveitou para criar um novo super-herói. Originalmente, Moulton queria criar um super-herói que salvasse o mundo não apenas com os punhos, mas com amor. Por sugestão de sua esposa, fez desse personagem uma mulher e assim surgia a Mulher-Maravilha.

Publicada originalmente na revista All-Star Comics nº 8, a história mostrava um mundo totalmente dominado por mulheres fortes e independentes, a Ilha Paraíso, onde Diana crescera filha de Hipólita, a rainha das amazonas. Quando o avião do oficial de Inteligência americano Steve Trevor cai na ilha, a deusa Afrodite diz para as amazonas que é chegada a hora delas viajarem para o “mundo dos homens” e ajudá-los a enfrentar os perigos do Nazismo. Assim, uma competição é realizada para decidir qual das amazonas iria escoltar o militar de volta para o mundo dos homens e ajudaria os americanos na Guerra. Proibida de participar por sua mãe, Diana comparece à competição com sua identidade escondida, sendo a vencedora. Quando sua mãe descobre que sua filha foi quem ganhou a competição, não tem outra opção a não ser seguir as regras e mandar sua filha para a missão. Assim, Diana foi para o mundo dos homens, onde atuou sob a identidade secreta de Diana Prince, enfermeira das Forças Armadas americanas

Ao ser publicada, o autor explicou que a personagem era uma propaganda psicológica de um novo tipo de mulher que, segundo ele próprio, deveria “dominar o mundo”. Inclusive, o autor acreditava que as mulheres eram, de fato, superiores aos homens e que deveriam ser retratadas como tal de agora em diante.

A grande maioria dos vilões que a Mulher Maravilha enfrentara em seus primeiros anos eram relacionados aos nazistas, uma vez que essa era a ameaça que ela tinha sido enviada para ajudar os homens a enfrentar, mas as histórias também revelaram a vilania de deuses como Ares, além de diversos asseclas e seres criados/enviados por eles. Entre as poucas exceções de vilões que não eram relacionados aos nazistas nem a mitologia Greco-romana estavam Cheetah (Conhecida aqui como Mulher Leopardo), uma atriz com dupla personalidade e Dr. Psycho, um anão com poderes psíquicos (!). Mulher Maravilha se tornou um sucesso imediato e logo foi colocada junto aos grandes super-heróis da época.

Epílogo: Curiosidades
- William Moulton Marston é mais conhecido por ter inventado o polígrafo (mais popularmente conhecido como detector de mentiras);
- A inspiração para o “Laço da Verdade” da heroína, que força qualquer um a dizer a verdade, veio da invenção do autor;
- Nos primeiros anos, Marston assinava as histórias da Mulher Maravilha sob o codinome de Charles Moulton;
- A Mulher Maravilha, ao contrário do que muita gente pensa, não foi a primeira super-heróina dos quadrinhos. Esta posição vai para Fantomah, Black Widow e Invisible Scarlet O'Neil, todas criadas em 1940;
- Willian Moulton Marston era devotado às mulheres. De fato, gostava tanto delas que vivia uma relação poligâmica com Elizabeth Holloway Marston e Olivia Byrne;
- Superman e Batman, Mulher Maravilha são os únicos personagens da DC Comics publicados (nos EUA) continuamente desde suas criações, sem interrupções (com exceção de um brevíssimo hiato em 1986).


A seguir: Um novo tipo de Mulher Maravilha

Nome do Autor

Rafael Rodrigues

Filósofo, redator publicitário, promotor da ciência, roteirista de quadrinhos, professor de informática e pseudoblogueiro. Um homem que gosta de coisas simples, como Quadrinhos, Cinema e Ciência. Sabe, coisas normais.

Leia Mais sobre Rafael Rodrigues...
Related Posts with Thumbnails
blog comments powered by Disqus